27/03

Em tempos de pandemia, aquela viagem tão sonhada vai ter que ficar para depois... e agora? Como proceder em relação a voos marcados, hotéis reservados e pacotes completos de viagens? Valem o bom senso e a negociação nesse momento, em que o motivo para se ficar em casa não é culpa de ninguém.

 

O setor de turismo em geral está com uma campanha para que o consumidor não cancele a sua viagem e sim adie para quando for possível. Afinal, exigir reembolsos ou indenizações agora só vai piorar o problema do ponto de vista econômico, que também atinge a todos. Então, sempre que possível, procure alternativas para a solução do problema.

Companhias aéreas têm oferecido opção de voucher no valor da reserva, troca de voos por tickets para datas a definir, remarcação sem valor extra em caso de diferença de tarifa. Isso vai depender de cada empresa. Prefira sempre a resolução online,  diretamente nos sites das companhias. 

 

No caso dos hotéis a ideia é a mesma – se der, remarque sua reserva. Todos estão empenhados em resolver o problema, sem tarifas extras para mudanças de data e sem burocracia desnecessária. Entre em contato e apresente sua situação para chegar a um acordo bom para ambos os lados. 

 

 

Outra dica é considerar a data de sua viagem, principalmente nos pacotes. Se for entre abril e maio, é bom começar logo a ver as remarcações possíveis. Entre junho e julho, ainda dá para esperar um pouco e muitas empresas nem abriram alterações para esse período. E, para o segundo semestre, a expectativa é de que o cenário esteja normalizado. Não é garantido, mas se todos colaborem ficando em casa agora, cuidando de si e dos outros e tomando decisões econômicas com consciência, as chances são maiores!